quinta-feira, 26 de maio de 2011

Mi Buenos Aires Querido!

Primeiramente, quero me desculpar pela ausência. Tava indo tão direitinho o meu blog, dava até gosto! 
Muita coisa aconteceu desde a última postagem e precisei me adaptar às novas mudanças. 
Bom, agora pretendo voltar ao ritmo de postagens semanais. Espero cumprir. 
Vinha falando sobre Disney, parques, Atlanta, enfim, sobre nossa viagem aos Estados Unidos, mas eis que viajamos para Buenos Aires final de semana passada e aí tá tudo tão fresquinho na minha cabeça que prefiro não misturar as lembranças.
Sou super suspeita para falar sobre Buenos Aires, que me perdoem os fanáticos por futebol, mas adoro essa cidade. Acho que a capital argentina tem tudo o que nós turistas esperamos de um bom passeio: lazer, cultura, boa gastronomia e balada.
Apesar de essa haver sido minha terceira visita a Buenos Aires, ainda não foi dessa vez que fugi do "pacote turistão", ou como o nome do meu blog sugere, do roteiro que todo turista acidental deve e precisa fazer na sua primeira vez. Por isso, repetimos Casa Rosada, Show de Tango, Caminito e por aí vai...
Nem preciso dizer como o custo da viagem ficou em conta, né? Quem acompanha este blog sabe que milhas e Bancorbrás são parceiros inseparáveis em nossas incursões mundo a fora. E não foi diferente desta vez, nossas passagens foram adquiridas através de milhas e ficamos hospedados no Apart Hotel & Spa Congreso, um dos hotéis filiados à Bancorbrás.
Não era nenhuma "Brastemp", mas vamos combinar que, na maioria dos casos, hotel só serve para dormir mesmo. E para essa finalidade, ele nos serviu muito bem, ou seja, custo e benefício perfeitamente atendidos.
No mais, é só pernar, pernar e pernar, gente. Não tem outra forma melhor de conhecer um lugar, senão caminhando, pegando metrô, fazendo parte da rotina do lugar. 
Palácio do Congresso, localizado na Praça dos Congressos, no final da Avenida de Maio
Praça dos Congressos - Palácio do Congresso ao fundo
Aos desavisados, é bom lembrar que é preciso tomar muito cuidado com taxistas (que antes eram considerados quase um cartão de visitas da cidade), por isso prefira aqueles filiados à empresa RADIO TAXI ou similares e não desgrude de bolsas, câmeras, filmadoras um segundo e em todas as ruas, metrô, restaurantes. Todo o cuidado é pouco e você percebe a necessidade de redobrar sua atenção desde o aeroporto.
O blog Mala Pronta dá dicas bem úteis de como se prevenir de alguns golpes, mas o visitante deve andar somente em Taxis filiados a empresas, nunca devem pegar os particulares por serem mais perigosos.
Obelisco ao fundo - Praça da República no cruzamento das avenidas Corrientes e 9 de Julho.
 Afora esses cuidados que devem ser tomados em toda e qualquer grande cidade, de resto é só aproveitar o que a cidade oferece (e bem) de melhor.
Plaza de Mayo
Casa Rosada
Caminito
Gente, o Caminito foi uma grata surpresa para nós. Mudou muito desde a última vez que estivemos em Buenos Aires. Perdeu um pouco do ar sombrio que inspirava cuidados redobrados e passou para o que vocês estão vendo na foto acima: um lugar alegre com várias opções de bares e restaurantes que convida o turista para bebericar um pouco no ritmo do tango (que está presente em várias apresentações ao longo de suas ruelas).
Restaurante La Cabrera
Em nossas viagens, nós sempre procuramos fugir um pouco do lugar comum, nem que seja um pouquinho. Por isso, sempre damos preferência por frequentar bares e restaurantes frequentados por "nativos" do lugar, mantendo-nos distantes das ordas de brasileiros que invadiram literalmente Buenos Aires. Pensando assim, nós conhecemos o recomendadíssimo La Cabrera. A carne servida no lugar não tem igual  e os acompanhamentos são divinos, somando tudo ao lugar que é super descolado.
Outra boa opção para os casais em lua de mel na na capital argentina é o restaurante afrodisíaco Te Mataré, Ramirez. Não chegamos a conhecê-lo porque não estava funcionando no dia que dedicamos à visita, mas deu pra perceber que o lugar é interessante e a proposta super inovadora. Soube que tem shows eróticos nos fins de semana.

Livraria El Ateneu


Desta vez, incluímos no roteiro uma visita à Livraria El Ateneu. Existem várias filiais espalhadas pela cidade (quem conhece Buenos Aires deve ter percebido como os argentinos prezam a boa leitura), mas a que eu queria conhecer é a que fica na Av. Santa Fé, 1860, pois é considerada como a segunda livraria mais bonita do mundo.

ONDE COMER:
1. La Cabrera: José Antonio Cabrera 5099;
2. Te mataré, Ramirez: Gorriti 5054 en Palermo SOHO.


quarta-feira, 13 de abril de 2011

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE OS PARQUES DA DISNEY - HOLLYWOOD STUDIOS

Entrada do parque Hollywood Studios
Este, sem dúvida, é o melhor parque do complexo Disney (ao menos para crianças da faixa etária de minhas filhas).
Algumas atrações desse parque já eram nossas conhecidas desde a Euro Disney (Tower of Terror e Rock’n Roller Coaster), mas repeti-las não foi ruim, especialmente porque as meninas estão maiores e curtiram como não haviam curtido na ocasião da viagem à Paris.
Tower of Terror
Com um pouco de experiência (adquirida nos dias anteriores), otimizamos nosso tempo, dividindo as melhores atrações nos três turnos: manhã, tarde e noite (com intervalos para lanches e almoços, é claro).
Dessa forma, tivemos uma visão geral das principais atrações deste parque.
O Hollywood Studios se divide em: Hollywood Boulevard, Echo Lake, Streets of América, Comissary Lane, Pixar Place, Mickey Avenue, Animation Courtyard e Sunset Boulevard.

1. Principais atrações do parque:

1.1 Tower of Terror (tem FAST PASS): elevador que cai diversas vezes. Muito bom!

1.2 Rock’n Roller Coaster (tem FAST PASS): montanha-russa ao som de música do Aerosmith. Muito bom!

1.3 Lights, Motors, Action! Extreme Sound Show: você vê como são feitas as manobras e acrobacias com veículos para os grandes sucessos de ação em Hollywood. Muito bom!

1.4 Studio Backlot Tour: tour por cenários de filmes, figurinos e um incrível efeito especial no final. Muito bom!

1.5 Muppet 3-D Vision: filme bem legal com a turma dos Muppets. Bom.

1.6 Star Tours: simulador que viaja no espaço com curvas e quedas inesperadas. Muito bom!

1.7 Indiana Jones Epic Stunt: espetáculo ao vivo apresentando ação, acrobacias e muita aventura. Muito bom!

1.8 Beaty and the Beast: maravilhoso show que combina atores e animação.

1.9 Fantasmic: show de encerramento que combina fogos de artifício e personagens da Disney. Fantástico!
 
Studio Backlot Tour

DICAS

- Chegue ao anfiteatro do show de encerramento com 90 minutos de antecedência, caso contrário não encontrará um bom lugar para assistir ao Fantasmic.

- Sempre pegue o FASTPASS entre uma atração e outra. Por exemplo, vá para Tower of Terror e pegue um Fastpass para Rock’n Roller Coaster ou pegue Fastpass para Lights, Motors, Action! Extreme Stunt Show e vá para Disney-MGM Backlot Tour.

ONDE COMER:

Almoço

- Studio Catering Co (Streets of América): sanduíches e saladas.

- Sci-Fi-Fine-In Theater (Comissary Lane): várias opções de almoço e jantar.

Jantar

- 50’s Prime Time Café (Echo Lake): o lugar recria a casa de uma família do anos 50. O legal é que as garçonetes falam pra gente comer tudinho...rsrsrsr
















sexta-feira, 8 de abril de 2011

NA ONDA DO SHOW DO U2


Foto de http://0001coisas.blogspot.com/2009/07/u2-360-em-barcelona-fotos-da-turne.html
Gente, não tem quem não saiba o que está pra acontecer em São Paulo este final de semana. Para aqueles que acabaram de chegar de Marte, aviso que a banda U2 se apresentará mais uma vez no Brasil nos próximos dias.
Bom, mas o show acontece amanhã (sábado) e muita gente já está com as malas prontas rumo à São Paulo hoje e devem estar se perguntando sobre o que fazer nesta cidade que não dorme.
Aviso que não será necessário muito esforço para encontrar programações para todos os gostos e tribos, mas tem gente que ainda quebra a cabeça pensando sobre o que fazer e termina sem fazer nada (ou pelo menos quase nada). Por isso, o Accidental presta um serviço de utilidade pública, indicando blogs que se anteciparam em fornecer essas informações.
Vejam os posts dos antenadíssimos:
2. Viajar pelo mundo: 48 horas em São Paulo
Espero que aproveitem as dicas e tirem desta cidade maravilhosa, que é São Paulo, o melhor que ela tem a oferecer.

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE OS PARQUES DA DISNEY - EPCOT


Depois de um dia de muita brincadeira no Magic Kingdom, havia chegado a hora de nos esbaldarmos em mais um parque do complexo Disney: Epcot.
Não estávamos com "aquela" expectativa em relação a este parque, principalmente porque não reunimos informações suficientes sobre suas atrações.
Porém, logo na entrada, o Spaceship Earth nos deu uma idéia do potencial do Epcot.
O brinquedo fica dentro da famosa bola prateada (que eu julgava servir apenas para enfeitar o parque - tisc) e lá os turistas fazem um passeio interessantíssimo, visitando cenários que contam a história da evolução humana através das grandes descobertas no campo da comunicação.


Saída do Spacechip Earth

Isso sem falar nas demais atrações que têm apresentam um diferencial em relação as concorrentes existentes nos outros parques.
Mas a grande sacada do parque não está tão relacionada aos brinquedos (se é que podemos chamar aquelas atrações de forma tão singela) e sim na divisão de seu espaço em pequenos pavilhões de países como Alemanha, Japão, França e Reino Unido, por exemplo.
O bacana é caminhar ao redor do lago (que fica praticamente no centro do parque), entrando em cada um desses mini-países para conhecer um pouco de sua cultura.
Ao adentrar em cada um desses espaços, é dada ao visitante a opção de assistir um filme curto contando um pouco de sua história, ou ele pode topar, ainda, com algum show de banda cover de banda famosa daquele determinado lugar.
É tanta coisa pra ver que é sempre bom ter em mãos o TIMES GUIDE para selecionar as atrações que mais lhe atraírem para não perder tempo.
Só para vocês terem uma idéia, no “Reino Unido” nós assistimos ao show de uma banda cover dos Beatles que, de tão parecidos com a original, transportou-nos àqueles anos com um simples fechar de olhos.
Isso é só um exemplo do tanto de atrações que cada um desses espaços oferece aos visitantes, sem falar nos cenários que são de um primor indescritível.
O Epcot se divide em: Future World Leste, Future World Oeste e World Showcase.
1. FUTURE WORLD LESTE
1.1 Spaceship Earth: como eu falei, você acompanha as grandes descobertas humana dentro de um carrinho, vitais para a nossa sobrevivência. Muito bom!
1.2 Mission Space (TEM FAST PASS): simulador de viagem num foguete para Marte. Você pode escolher o time laranja (sensações mais intensas) ou o verde (sensações moderadas). Não gostei muito porque a sensação causa enjôo.
1.3 Test Track (TEM FAST PASS): enorme galpão onde você pilota um carro de corrida. O carro chega até uns 120 Km. Depois, você confere uma exposição dos últimos modelos da GM. Bom.
2. FUTURE WORLD OESTE
2.1 Soarin (TEM FAST PASS): este brinquedo simula um vôo de asa delta por várias paisagens naturais da Califórnia. Do meu ponto de vista, a melhor atração do complexo Disney. A sensação é indescritível. Imperdível!
2.2 Living with the land (TEM FAST PASS): barquinho que nos leva a passear por estufas e criadouro de peixe. Bom para crianças bem pequenas e para idosos ou pra quem quiser fazer uma pausa para descanso. Fraco.
2.3 The circle of life: filme com os personagens de “O Rei Leão”. Não vi esse, mas os filmes que assisti valem à pena porque são 3D (ou 4D) e são curtos.
2.4 Jouney Into Imagination With Figmente: uma jornada para a sua imaginação e seus sentidos.
2.5 Captain EO (TEM FAST PASS): filme 3D onde o capitão EO e sua tripulação estão numa missão para salvar um planeta atravez do poder da música, dança e luz.
2.6 ImageWorks: playground interativo.
3. WORLD SHOWCASE
Esse espaço subdivide-se em pavilhões representando países como: México, Noruega, China, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Japão, Marrocos, França Reino Unido e Canadá.
4.IMPERDÍVEIS
4.1The British Invasion (Reino Unido): maravilhoso cover dos Beatles.
4.2Off Kylter: show de banda que mistura rock com gaita. Fica ao lado do Canadá. Muito bom!
4.3Illminations: Reflextions of the earth – confesso que nunca me emocionei tanto com shows pirotécnicos como neste do Epcot. Acontece no meio do lago do parque, por volta das 21:00h. Então é aconselhável procurar um bom lugar lá pelas 20:15 para não perder esse show. É lindo!!!
DICA:
1.Pegue o TIMES GUIDE na entrada do parque e não largue de jeito nenhum!!! É importante para ver as opções de lanchonetes e restaurantes, horário das atrações e shows.
2.Caso você esteja viajando com o vovô e/ou vovó e precise alugar uma cadeira de rodas, preste atenção no recibo do aluguel, pois ele oferece descontos, inclusive em restaurantes.  
ONDE COMER:
No subsolo do parque, mais precisamente no Land Pavilion, você pode encontrar diversas opções de restaurantes e lanchonetes. Nós gostamos muito do Sunchine Seasons, pois tem refeições variadas que atendem a todos os gostos com um preço razoável (veja o menu aqui).

quarta-feira, 30 de março de 2011

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE OS PARQUES DA DISNEY - MAGIC KINGDOM


Muitas crianças (e adultos também) nutrem a curiosidade de um dia conhecer a Disney. De fato, esse complexo de parques continua exercendo um certo fascínio, especialmente naquelas pessoas que curtem esse tipo de programa.
Algumas, no entanto, não idealizam mais este lugar tanto quanto antes por vários motivos. Um deles (talvez o principal) pode estar relacionado às inúmeras possibilidades que o mundo anda oferecendo em termos de diversão.
Nós estamos incluídos neste rol. A Disney nunca figurou na nossa lista de desejos, mas os filhos influenciam (e muito!) na escolha de um destino, especialmente quando sabem que a viagem está sendo programada para eles.  
E, por acreditar que temos que ser pais participativos e que devemos estar ao lado delas em todos os momentos importantes de suas vidas, resolvemos enfrentar sete dias imersos neste mundo de fantasia e muita brincadeira.
O que eu posso dizer de concreto sobre a Disney?

De concreto mesmo, só o preço que se paga para estar ali. Sim, a brincadeira custa caro! 

Fora desse aspecto, a Disney é um lugar mágico, talvez o único que nos oferece a possibilidade de voltar no tempo para brincarmos como crianças.

E para as crianças??? Não é preciso nem falar!

Gente, elas não piscam, não cansam, não param nem para comer! Acho que é o único lugar no mundo onde os pais insistem para elas lancharem hehehehe...

De resto, é tudo curtição e muuuiiitttaaaa diversão.

Como eu adooooro uma listinha, preparei uma para cada parque, dando dicas das principais atrações.


Vou começar pelo Magic Kingdom:

1. Esse parque é enorme, por isso, é bom chegar cedo para aproveitar tudo o que ele oferece. É o famoso “classicão” que todos têm que conhecer, mesmo sabendo que seus brinquedos são os mais bobinhos do complexo (esta visão é dos grandinhos, viu?). Divide-se em: Main Street, U.S.A., Adventureland, Fronterland, Liberty Square, Fantasyland, Mickey’s Toontown Fair e Tomorrowland.


1.1 Main Street: fica logo após a entrada do parque. Lá você encontra assistência para visitantes, informação, achados e perdidos, veículos antigos (Main Street Vehicles), trem a vapor e o centro Disney’s Photo Pass Center, além de restaurantes e sorveterias.

1.2 Adventureland (principais atrações):

- Swiss Family Treehouse: é a famosa árvore do náufrago Robinson. Bastante interessante porque parece uma árvore de verdade (dá até vontade de morar lá de tão perfeitinha rsrsrsr), mas não perca muito tempo nela.

- Pirates of the Caribean: passeio de barco por cenários do famoso filme. Legal.

No adventureland você também encontra várias opções de lanchonetes e sorveterias.

1.3 Frontierland (principais atrações):

- Big Thunder Mountain Railroad: montanha-russa que passeia por lugares que remontam ao Velho Sudoeste.

- Splach Mountain: montanha-russa com quedas inesperadas.

Este local também conta com boas lanchonetes.

1.4 Liberty Square (principal atração):

- Haunted Mansion: mansão assombrada por fantasmas voadores.

1.5 Fantasyland (principal atração):

- Mickey’s PlilharMagic: mini-filme em 3-D fantástico!

1.6 Mickey’s Toontown Fair: aqui você poderá conhecer a casa do Mickey e as princesas e fadas da Disney.

1.7 Tomorrowland (principais atrações):

- Space Mountain: montanha-russa no escuro bem legal.

- Astro orbiter: bem fraquinho para a turma adolescente e papais de plantão, mas possibilita ter uma visão legal do parque.

1.8 DICAS:

- Assim que chegar ao complexo, pegue seu guia (em português) e faça o seu próprio roteiro para não sair andando pelo parque sem eira nem beira. Dessa forma, você não perderá tempo.
- Procure as principais atrações de cada parque (as mais disputadas) e deixe as mais bobinhas para o final.
- Vários mini-shows podem ser assistidos por todo o parque. Vale uma paradinha rápida...

- Celebrate a dream come true parade é um desfile dos principais personagens com muita música. Bem legal para quem nunca viu.

- Consulte o horário do show de encerramento do parque nos folders adquiridos na entrada para não correr o risco de perder. O show é fantástico, com lindíssimos fogos explodindo por trás do Castelo da Cinderela e uma bela surpresa no final.


























































segunda-feira, 21 de março de 2011

VIAJANDO COM FILHOS: SEGUNDA PARTE


Viajar com filho sai caro, dá uma canseira danada, mas a alegria que eles nos proporcionam nesses momentos de descontração paga tudo.
A gente não tem noção da importância desses passeios em família até fazê-los. E não estou falando só pela questão da convivência, mas pelo aprendizado proveniente de culturas diferentes da nossa, de comidas de diversas partes do mundo (as asiáticas são nossas preferidas) e dos idiomas que eles escutam e tentam entender para se comunicar.
Em nossos passeios, sempre andamos de trem, metrô ou fazemos caminhada; e são esses momentos que proporcionam aos pequeninos a oportunidade de interagir com pessoas que se vestem e falam diferente de nós. E isso as encanta tanto que hoje sentimos um forte pesar quando não podemos levá-las em nossos passeios.
Bom, mas para que tudo transcorra com a tranqüilidade que a gente merece, especialmente porque o sucesso de nossas férias está em jogo, devemos tomar alguns cuidados básicos.
Por isso, preparei uma listinha com algumas precauções que eu considero necessárias para prevenir surpresas e doenças indesejáveis.

Vejam só:

1 – Antes de viajar, independente do destino escolhido, costumo agendar uma consulta com a pediatra para fazer um checkup nas meninas. Esse é o momento para ver se está tudo em ordem com a garganta, ouvido e aparelho respiratório (pontos bastante vulneráveis de nosso corpo).

2 – Sempre levamos os remédios aos quais elas já estão acostumadas, principalmente quando viajamos para o exterior. Então, remédio para dores e febre, um antialérgico, contra dor de barriga e gases devem estar disponíveis para emergências (lembre-se que as piores crises infantis acontecem durante a madrugada – se alguém souber o porquê me avise, por favor).

3 – Sempre levo os remédios dentro de uma pequena caixa de papelão dentro da mala. Isso evita que algum deles estoure e suje as roupas que estão ao redor.

4 – Sempre levo meias, calcinhas (ou cuecas) em excesso, pois são itens difíceis de lavar e, ainda que os lavemos, demoram a enxugar dentro de um banheiro de hotel.

5 – A quantidade de roupas depende do clima do lugar, mas é sempre bom colocar muitas blusas. No frio, elas servirão como primeira camada de roupas e, no calor, o excesso permitirá que sejam trocadas várias vezes durante o dia.

6 – Seguro-viagem (no caso de viagens para o exterior) e carteirinha do plano de saúde para passeios dentro do Brasil. Uma de minhas filhas precisou de atendimento médico quando estávamos nos EUA (devido a uma forte alergia a um sabonete do hotel) e o seguro funcionou direitinho.

7 – Fuce a internet à exaustão para pegar dicas dos destinos que você pretende visitar e ver as opções que o lugar oferece para crianças. Museus são excelentes para despertar curiosidade e aguçar a vontade de aprender, mas é sempre bom dedicar um dia para fazer o que elas gostam: brincar. Assim, elas se sentirão estimuladas para os programas seguintes.

8 – Em viagens ao exterior, eu costumo comprar várias opções de lanche (sucos em caixinhas, bolos, biscoitos e frutas) para os lanches entre as refeições. Normalmente, compro os produtos em algum supermercado próximo ao hotel por custarem menos.

9 – Aproveite o dia o máximo que puder. Crianças não permitem que estiquemos a noite em baladas ou programas do tipo. Normalmente, à noite, só dá pra levá-las ao teatro, cinema, shopping e restaurantes.

10 – Interaja com elas. Se você não é graduado em história nem anda com um guia turístico à tira-colo, tenha sempre à mão resuminhos (estilo Folha de São Paulo e similares), pra transmitir conteúdo sobre pontos turísticos. Isso ajuda muito a estimular a curiosidade ao tempo em que cria um espaço para diálogos e perguntas (algumas irrespondíveis!!!).

quinta-feira, 17 de março de 2011

VIAJANDO COM FILHOS: PRIMEIRA PARTE

Foto de 
Sempre que podemos, levamos nossas filhas para viajar conosco; primeiro, para que elas tenham uma noção de mundo,  gastronomia, culturas diversas e de outros idiomas; segundo, para fortalecer os laços que nos unem.
Porém, a despesa de uma viagem com crianças à tira-colo aumenta consideravelmente.

Com elas, todos os gastos duplicam (triplicam, quadriplicam...).
E não são só os custos fixos que aumentam (como passagens, seguro, alimentação, city tour, etc...).
Estou falando dos variáveis, aqueles que surgem quando começamos a comprar roupas, sapatos, brinquedos e acessórios. É difícil para os pais fazer ouvido de mercador para os pedidos de seus pimpolhos de um jogo novo ou uma blusinha da moda.

E olha que eles nem precisam pedir muito. Basta que eles nos olhem com aquele olhar do Gato de Botas do filme Shrek para que cedamos aos seus apelos.
Precisamos desviar das armadilhas que eles nos preparam - sim, filhos conhecem bem seus pais e sabem muito bem como e o que fazer para ganharem o que querem.
Eu, por exemplo, caí em várias delas.
Em minha defesa, posso lhes assegurar que não é fácil negar pedido vindo de um filho, principalmente em viagens para o exterior (onde promoção existe de verdade). Imaginem encontrar aquela blusinha daquela grife famosa por uma pechincha? Gente, não tem quem resista!

Só que você encontra a primeira em um determinado outlet, vai a outro e se depara com mais uma e com uma bermudinha que é a cara de sua filha, depois com um cinto, um jogo...pronto!!! Seu cartão já está estourado.
Até aí tudo bem! Você não sente nada a não ser ansiedade de ver suas filhinhas (os) desfilando aquelas roupinhas super transadas ou a empolgados com os joguinhos. Dor mesmo você sente quando chega a fatura do cartão de crédito, onde todos aqueles itens devem ser pagos de uma tacada só!
É aí onde mora o perigo!

Pensando nisso (e meio que por experiência própria), preparei uma listinha com alguns conselhos básicos para os papais e mamães de plantão:

1. Reserve um valor para compras, alimentação, city tour, etc. Se possível, leve essa quantia em espécie;

2. É bom preparar uma listinha básica dos itens que você considera que valham à pena comprar. E siga-a à risca, ticando um-a-um após cada aquisição;

3. Visite sites de lojas e outlets, para ter uma noção do valor de cada item. Isto ajudará a definir a quantia que você vai gastar;
4. Criança cresce (e rápido!). Portanto, não vale à pena comprar uma danação de roupa pra elas perderem em poucos meses;

5. Crianças pedem tudo o que veêm pela frente, portando, cabe à você dosar o que elas realmente precisam. Para isso, é sempre bom dar uma olhada no guarda-roupa delas antes de qualquer viagem;

6. Tire todo e qualquer cartão de crédito da carteira naqueles dias destinados às compras;

7. Só use cartão em caso de extrema necessidade, por exemplo, para pagar passeios não programados previamente;
8. Dizer NÃO não dói, nem a quem diz nem a quem escuta;

9. Por último, uma boa dose de bom senso é altamente recomendável.














sexta-feira, 11 de março de 2011

O QUE É QUE ATLANTA TEM?



Foto de skyscrapercity.com
 Para quem não sabe, Atlanta, praticamente, ressurgiu das cinzas depois de sua destruição durante a Guerra da Secessão americana, fato este que a torna mais simpática e atraente aos olhos de qualquer visitante, mas quem quiser saber mais sobre sua história não pode deixar de ler esse texto que dá uma visão geral sobre os fatos mais marcantes.
Decidimos fazer nossa primeira parada na cidade de Atlanta nessas últimas férias aos Estados Unidos, cuja história marcante e importância visível a elevou ao patamar de Capital do Sul.
Fazia doze anos desde a nossa última visita a Atlanta, tempo suficiente para percebermos que a cidade mudou muito e pra melhor!
Isto pode se observado na construção de novos bairros (como o Compound) e de atrações como como o Geórgia Aquarium (considerado o maior aquário do mundo) e Museu da Coca-Cola (que está mais moderno e atraente).
Apesar de não figurar entre os roteiros americanos mais procurados, Atlanta é uma cidade vibrante, bem tratada, moderna  e que desponta como uma das mais importantes dos Estados Unidos.
1. PRINCIPAIS ATRAÇÕES

Geórgia Aquarium: aquário gigantesco que abriga diversas espécies marinhas, dispondo-as de maneira inteligente e atraente. É um programa que agrada pessoas de diversas faixas etárias.
Museu da Coca-Cola: engana-se quem acha que o famoso refrigerante não tem história suficiente para encher um museu exclusivo.
Undergraund Atlanta: atração remanescente da Atlanta de 1860 localizada no centro da cidade nas proximidades da Peachtree (uma das principais avenidas da cidade), transformada em um shopping que conta com bares, restaurantes e lojas. É um lugar bastante interessante que destoa um pouco da moderna arquitetura do centro de Atlanta. Como o próprio nome sugere, o lugar se localiza abaixo do nível da cidade.


Foto de viagensimagens.com
 
Centennial Olympic Park: Atlanta sediou as Olimpíadas de 1996 e o que restou do local abriga hoje uma belíssimo parque que conta com fontes e monumentos.



Foto de ricardosouza.zip.net
  2. TRANSPORTES

Observamos que a cidade continua com a mesma deficiência de transporte público de outrora, o que pode ser constado por turistas acostumados com cidades dotadas por extensa malha metroviária e ferroviária, além de ônibus ligando os bairros ao centro.
O visitante que é acostumado a alugar carro não terá problema algum de deslocamento, pois Atlanta é servida por uma extensa (e excelente) malha de auto estradas que rodeia a cidade, todavia, para nós (acostumados a circular de metrô e trens em todos os grandes centros urbanos), o serviço prestado pelo MARTA (como é chamado o sistema de transporte coletivo feito por ônibus e metrô), a nível de metrô, é deficiente porque os trens cruzam a cidade em forma de cruz, ou seja, as linhas ligam o norte ao sul (e vice-versa) e o leste ao oeste (e vice-versa).
Caso você queira conhecer algum local localizado entre esses pontos, terá que procurar outro meio de transporte (o que não é fácil se você não alugou um carro).
Assim, o turista que pretende conhecer bem a cidade, terá, obrigatoriamente, que alugar um carro para se deslocar com mais facilidade e independência.

3. COMPRAS

Atlanta é um bom destino de compras. Claro que não chega aos pés de Orlando ou Miami, mas oferece um mix de opções para os compradores de plantão.
Destaco as lojas da rede TJ Marsall, Loheman's e H&M para comprar roupas. As duas primeiras são lojas onde você encontra itens de grife (Calvin Klein, Diesel, DKNY) fora da estação e com preços convidativos.

BEST BUY para quem quer comprar eletrônicos.

IKEA para artigos de casa e decoração.

SUPER TARGET compras em geral, de comida a roupas, passando por eletrônicos, artigos de casa e decoração. Enfim, é um lugar onde você pode adquirir bons artigos para cozinha, por exemplo, por um preço justo (não é nenhum Williams-Sonoma, mas dá pra quebrar o galho).

3.1 Shopping Center

Comprar em shopping center em Atlanta sai caro. Nem em janeiro (época em que a Europa fervilha com descontos imperdíveis), foi possível encontrar artigos com aquele precinho que a gente gosta.
Mas shopping é shopping e sempre é bom dar uma conferida, então, eu sugiro:

Northlake Mall

Perimeter Mall

Lenox Square

3.2 Outlet

Prime Outlets: sim, Atlanta também tem Prime, mas não vá pensando que encontrará a mesma variedade que se vê em Orlando.

Locust Grove Outlet Center

Commerce Outlet Center

4. ONDE COMER

Caso você queira fugir dos famosos fast foods americanos, o The Cheesecake Factory (4400 Ashford-Dunwood Rd) é uma excelente opção.

Não tenho nenhuma dica de melhor hamburguer pra dar porque não aprecio esta iguaria americana, mas lanchonetes não faltam. Fala-se muito da Wendy's, mas, particularmente, eu não vi nada demais.

5. BALADA
Tongue&Groove: bar dançante concorrido da cidade (565 Main Street)

6. SAIBA MAIS

Para quem quiser obter mais informações sobre Atlanta, eu sugiro uma visita nestes sites:


quinta-feira, 3 de março de 2011

COM QUE MALA EU VOU?

Foto de espacodecorado.com
Geralmente, a gente se faz essa pergunta todas as vezes que viajamos. Com duas rodinhas (ou quatro), grande, pequena, de mão, mochila...Enfim, hoje o mercado coloca à disposição do viajante diversos modelos de mala e os indecisos sofrem com tantas variedades.
Porém, apesar da diversidade de modelos, as minhas preferidas ainda são as de fibra de vidro com duas rodinhas atrás. Mochila não me atrai porque sempre penso que as coisas não ficarão arrumadas do jeito que eu gosto e também porque teimo em associá-las a lugares inóspitos (montanhas, trilhas) e estes não são meus destinos favoritos.
Nunca compro as que possuem rodinhas de silicone. Depois de várias tentativas, concluí que esse tipo de material não dura nada, principalmente quando não as viagens não são programadas por agência de turismo e sim pulando de um trem para outro, ônibus ou arrastando-as pelos mais diversos tipos de calçamento.
As de quatro rodas, apesar do forte apelo à leveza e deslizamento, já me disseram que as rodinhas dianteiras podem ser facilmente danificadas quando lançadas de qualquer jeito nas esteiras de aeroportos, circunstância que lhe obrigará mandar arrancar as duas rodinhas da frente para não perder completamente a mala.
As de fibra de carbono são lindas por fora, mas o espaço interno não me atrai simplesmente porque acho que não compensa perder o fleche que expande o tamanho original, o bolso na frente (indispensável para alocar os itens que não cabem mais dentro da mala) e as divisões internas. Por isso sempre opto pelos modelos tradicionais.
Outra coisa útil é comprar malas de cores diferentes. Isso facilita muito a identificação quando aquela danação de malas pretas passa por sua frente nas esteiras dos aeroportos.
Para viagens curtas, não abra mão de uma mala pequena de até cinco quilos para levar no compartimento interno do avião. Sei que essa é uma tarefa difícil para muitas mulheres, mas pense no tempo que você ganhará pelo fato de não precisar esperar sua mala na esteira.
Lembre-se, nunca coloque na mala aquelas roupas que você ACHA que vai usar na viagem. Certifique-se sobre a programação de seu passeio e leve apenas aquilo que você tem CERTEZA que vai usar.
Acredite, nunca usamos aqueles itens que ACHAMOS que serão úteis!
O youtube disponibliza um vídeo fantástico ensinando como aproveitar bem o espaço de uma mala, veja aqui.
Agora me diga: que modelo de mala você costuma usar em suas viagens viajar?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Reajuste na taxa de embarque

Foto de bbc.co.uk
Gente, está mais caro viajar de avião! As taxas de embarque sofrerão reajuste a partir de 14/03/11. Vejam a notícia na íntegra aqui. Ainda dá tempo de adquirir passagem sem o rejauste. É bom dar uma conferida nos sites das empresas aéreas e nas agências.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Antecipe-se!

Foto de efetividade.net
Como eu sempre gosto de compartilhar experiências que possam ser úteis para quem visita este espaço, vou dividir os acontecimentos de nossas últimas férias em Atlanta, Orlando (leia-se Disney) e New York.
Planejamos esta viagem desde o começo do ano de 2010 quando constatamos que nossas milhas venceriam no final do ano. Vocês não sabem, mas é mais fácil Hélio perder um braço do que uma milha. E ele tinha 180 mil milhas, o que representava 3 passagens para o exterior. A ida e a volta já estavam garantidas, precisaríamos pagar apenas a passagem de nossa filha mais nova (que custaria menos por conta de sua idade).
Bom, apesar da antecedência na troca das milhas por passagens (que ocorreu em julho), não conseguimos lugar em nenhum avião no período de nossas férias (15 de dezembro a 03 de janeiro). Com milhas não conseguiriamos viajar, mesmo fazendo conexão em qualquer cidade dos EUA e, fatalmente, as perderíamos.
Cadê essa crise que o povo tanto fala? Porque esse povo não tá em casa!!! hahahaha. Sei não...que dificuldade pra viajar!!! E olha que começamos a resolver isso seis meses antes, imagina quem deixa pra última hora?? Não viaja, gente!!! Os aviões estão lotados, a Disney cheia de gente e New York nem se fala!
Puxa daqui, estica dali, depois de tantos telefonemas e mudanças de rota, eis que conseguimos um vôo que dá preguiça até de falar: partindo de João Pessoa - São Paulo - Toronto - Atlanta.
Beleza!!! Quem queria perder 03 passagens para o exterior?
Resolvido o problema? Não! Conseguimos acento, mas não no período que queríamos, ou seja, tivemos que estender nossa viagem por mais uma semana e nossos dezessete dias iniciais passaram para quase um mês. Mais gasto, portanto.
Isso sem falar no visto de trânsito que precisamos tirar para fazer essa conexãozinha no Canadá (obrigatório para brasileiro) e no fato desse bendito visto somente ser emitido em São Paulo e nós termos ido à Brasília achando que obteríamos sucesso na capital federal.
Por conta disso, tivemos que contratar um despachante em São Paulo que resolveu isso pra gente por R$ 200,00 por cada pessoa.
É por essas e outras que antecedência e planejamento são fundamentais para o sucesso de suas férias.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Planejar é preciso

Foto de badaueonline.com.br
Planejar uma viagem não é uma tarefa fácil. Requer paciência, tempo e uma boa dose de obstinação. Para aqueles que têm o hábito de juntar milhas, a primeira coisa a fazer é checar a validade das mesmas para não correr o risco de perdê-las. Todo mundo sabe (e quem ainda não sabe fica sabendo agora) que esse negócio de milhas é uma mão na roda. Sério!!! Já viajei muito com milhas e funciona, mas é preciso marcar sua passagem com antecedência para não correr o risco de não ter lugar no vôo durante o período que você pretende tirar férias.
Mas é preciso estar atento aos pontos que vocês acumulam nos cartões de crédito para não perdê-los. É preciso transferi-los para o programa de fidelidade de companhias aéreas de sua preferência. Eu faço assim: ligo para a central de atendimento do meu cartão e peço para a atendente transferir meus pontos para a TAM. Neste momento, eu estou com o meu cartão da TAM FIDELIDADE em mãos e forneço o número para ela na hora. Só tem um detalhe: geralmente o cartão cobra uma taxa para fazer esta transferência...banco não perde nada...
Mari Campos, do blog SAIA PELO MUNDO (cuja leitura é obrigatória) dá uma dica bem legal de sites que ajudam o viajante a administrar seus pontos, o Award Wallet e o GoMiles. Mara!!! Não tem mais como perder esses pontinhos tão valiosos.
Outra coisa, quem pretende viajar para o exterior também tem que checar a validade do passaporte e se informar se aquele país para onde pretende ir exige visto para brasileiro
Esta precaução é importante porque tem consulado (como o americano) que você precisa marcar a entrevista com meses de antecedência e outros que você previsa contratar despachante para fazer isso por você (caso você não possa ir pessoalmente ou sua presença física não faz diferença), por estarem sediados em locais distantes de onde você mora.
Outra coisa, por experiência própria, procure saber também que consulado no Brasil emite o visto pretendido.
Nesta última viagem, aconteceu de pensarmos que o consulado do Canadá, com sede em Brasília, emitia visto, irmos para lá e sermos informados de que o visto do Canadá só é emitido em São Paulo.
Também é obrigatório se informar sobre a temperatura do lugar que você pretende conhecer. Nada a ver, viajar com a mala abarrotada de blusinhas e shorts e pegar um frio daqueles. Apesar de que, já aconteceu comigo de viajar em pleno verão europeu (época em que os termômetros chegam a marcar 40º) e pegar um frio daqueles em Paris, Amsterdam, Bélgica e ser obrigada a amanhecer na porta de uma loja para comprar roupas adequadas.
Como esse tipo de coisa é imprevisível, é sempre bom incluir na sua mala umas roupinhas aquecidas para não ser pega de surpresa.
Seguro-viagem também é indispensável!! Já falei aqui que não acreditava muito nisso e até achava um gasto desnecessário (quando somado a todos os outros que temos antes de viajar), mas é fundamental. Sempre fazemos seguro de viagem nas lojas da STB, com a ISIS e fomos super bem assistidos todas as vezes que precisamos usar.
Pesquisar muuuiiiittttooo também é preciso. Não existe viagem bem feita se você não planejar o que pretende conhecer e o tempo que dedicará nessa empreitada. A não ser que você viaje numa excursão, onde tudo é milimetricamente planejado por outra pessoa, sem espaço para sugestão. Portanto, se este não é o seu caso, um roteiro básico de tudo o que você pretende fazer é básico. Se não fizer isso, fatalmente vai se perder e vai voltar com aquela sensação de que não viu nem fez nada. A internet está aí pra isso e é uma excelente ferramenta para os turistas acidentais. Então, use-a à exaustão, blog por blog, dica por dica. Tem blogs fantásticos (que vou sugerir mais adiante) que dão dicas maravilhosas e seguras. Chequei várias nesta última viagem e não me arrependi. Então, mãos à obra!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Jingle Bells

Foto de gabinha-amoravida.blogspot.com
Este post estava salvo como rascunho antes de minha última viagem. Esqueci completamente de publicá-lo antes do dia 15/12/10, dia que iniciei minhas férias, portanto, para não parecer que foi postado fora de tempo, explico que ele foi escrito dia 06/12/10.


Terminou o ano e eu não concluí meus posts sobre a Provence. Falta pouco para iniciar um novo ano e eu ainda continuarei falando sobre essa belíssima região francesa. 
Nunca pensei que fosse tão complicado ser dona de casa, profissional, mãe, esposa e ter um blog, que nada mais é do que uma versão mais moderna dos antigos diários escritos durante a adolescência. Era mais fácil, naquela época...
Como eu gosto de fazer tudo bem feitinho, levo um tempão pra escrever (sempre reviso a ortografia), selecionar imagens, editá-las. E olha que eu não chego nem perto de muitos blogueiros com os quais andei topando pela web. Tem cada blog...dá até gosto...mas, um dia, eu chego lá...(se tiver um pouquinho mais de tempo).
Bom, eu estou esticando, mas o que quero dizer mesmo é que este é meu último post de 2010.
Quarta-feira eu e miha família embarcaremos para nossas merecidas férias.
Desta vez preparamos um passeio voltado para nossas crianças, por isso incluímos Atlanta, Disney e New York (que nem é tanto para crianças, mas para os pais delas).
Viajar com filhos é muito prazeroso e as nossas já estão bem habituadas ao ritmo que esse tipo de viagem impõe.
Obviamente, é um outro tipo de viagem que requer mais atenção, cuidados (custos altos!!!), e, por conta disso, geralmente volto mais cansada.
Mas vale, tudo se torna pequeno demais quando vejo olhinhos delas brilhando ao se depararem com lugares, pessoas e culturas diferentes.
Na volta, pretendo concluir meus passos pela Provence para comaçar a falar um pouco sobre os lugares que visitaremos desta vez, dando sugestões que valham à pena serem compartilhadas.
Portanto, aos que frequentam este espaço (ainda em fase de muitos testes), desejo um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações, saúde e prosperidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...